Busca

La Vox

Minha saudade tem nome

Todos nós temos medo, e nessa vida quem não tiver medo não é humano. Eu tenho medo de te perder, e me perder nesses caminhos sem rumo.

A minha saudade tem nome, que eu guardo escondido nesse mundo que é só nosso. Quero teu sorriso perto do meu, quero por um instante dizer que sou só seu.

Quero encostar minha mão na tua pele nua, e quando o mundo cobrar nossa presença, esqueçamos do mundo, porque naquele instante esse mundo é só nosso.

Anúncios

Em silêncio

Nessas histórias de vida sem sentido, descobri que sou importante para alguém, descobri que há quilômetros distante de mim, há alguém que no silêncio da madrugada me leva aos seus pensamentos.

Nesses silêncios e nesses encontros entre mim e a solidão, há uma pessoa que espera ao meu encontro, há alguém que deseja somente o meu bem.

Nessas grades que a vida nos impõe, às vezes achamos a vida tão sem sentido e também às vezes sentimos vontade de dormir de novo.

Quem dera acordar, e perceber que o mundo era simples de nossas épocas de infância, quem dera mudar para sempre essa realidade que nos cerca.

A rosa do deserto

Eu hoje queria te ter por perto, talvez para te ter em meus braços, para juntos pensarmos na vida. Tem horas que sempre quero te ter por perto, pois nessas horas eu esqueço até que eu existo.

Queria te ouvir falar que ainda sou importante para ti, pois nesse vai e vem da vida, você sempre soube que é muito importante para mim.

Vou te entregar uma rosa do deserto, senti vontade de te entregar esse tipo de rosa na primeira vez que eu te vi, não sei por quê, mas eu me sinto um deserto quando não tenho você.

Nos caminhos de York 

Eu hoje acordei com uma vontade de fazer uma poesia para você, quando tenho saudades sempre me vem essa vontade de fazer poesias.  Eu queria te eternizar em meus sonhos, e dizer que me fazes bem.

Da vida sei que não levarei nada, também eu sei que não vou para lugar nenhum, mas quero o doce dos teus lábios e sentir o perfume de tua pele.

Os homens, a política, deixo tudo sem olhar para trás, faz tempo que não quero olhar para trás, mas se um dia veres uma estrela sozinha nesse imenso universo a brilhar. 

Saibas que você também foi uma estrela para mim, lembras que quando os dias tornaram-se noites escuras, era por esse brilho que eu sempre  seguia, e foi para você que resolvi escrever essa história. 

Não há céu e nem paraíso

Hoje eu acordei e descobri que não vou para o céu, vi que todos esses anos me preocupando com o amanhã foram dias e noites em vão.

Não entrei em desespero ao descobrir que não vou para o céu, pois nessa vida sofrida que carregamos de certa forma aprendemos que nem toda dor pode ser curada com remédios.

E que nem toda solidão é causa de sofrimento, um dia talvez aprenderemos que não há fórmula para a felicidade e que o verdadeiro sentido da vida, é viver.

O amor nunca morre

Quando você cruzou a última porta, essa porta também era a última para mim. A dor tomou conta de minha vida, e dizem que devemos superar a dor com nossas próprias forças. Eu superei essa dor.

Quando você cruzou a última porta, esqueceu que tinha um coração que ainda estava vivo e pulsava por você, não me afoguei no álcool, pois o álcool e a religião não curam a dor, apenas anestesiam.

Eu me levantei das cinzas, e construí uma ponte sobre esses abismos, a dor me tornou mais forte, a dor me deixou quase invencível, agora sei que sou forte, porque o amor nunca morre, ele sempre está vivo.

Após a tempestade

Tudo que eu queria era dizer que eu te amo, sem ao mesmo tempo ser forçado a nada. Às vezes acordo a noite e penso em você, talvez sejas a causa de minha insônia.

E quando chove, a chuva te trás a minha lembrança, ser triste é a coisa mais comum do mundo, o difícil é sempre está alegre.

Após a tempestade quero ver tua imagem e dizer que eu te amo, quero ao menos dizer que eu te amo por hoje, porque amanhã talvez não possa mais te amar.

Talvez o sopro da vida me leve, talvez você pegue o trem e possa nunca mais voltar, então só por hoje, deixa eu dizer que te amo, só por hoje deixa ao menos eu te amar.

O que pensávamos não ter fim

No princípio era apenas eu e ela, e o mundo então era só nosso, passeavamos pelas ruas da cidade sempre a procura de se distrair.

Ela era meu mundo, e eu era o mundo só dela, planejavamos uma vida tranquila onde o infinito não pudesse nos alcançar.

Agora olho para ela, e não vejo nela o que eu vinha antes, seu sorriso não me motiva, e sua presença não me conforta.

Às vezes o que eu queria era está longe dela, e saber que ela está feliz distante de mim, mas a vida não é tão simples assim como planejamos.

Viver não é simples, viver é a coisa mais complicada do mundo, e nessa hora o que eu queria era sumir, sumir para nunca mais voltar.

A hipocrisia de minha mãe

Ia aos domingos para missa como qualquer outra pessoa católica devota do senhor Jesus Cristo, não sabia muito de política, ou praticamente nada da vida política de nossa cidade.

Para minha mãe, primeiro o eu, depois o seu eu, e eu não entendia porque os sentimentos religiosos de compaixão não a afetava em sua vida comum.

Sua piedade pela dor do próximo era pequena ou quase nada, não tinha classe, mas tinha todos os sentimentos de classe que o patriarcalismo moldou em nossa sociedade.

Para minha mãe, não haveria pessoas cultas, o estudo mutila a verdadeira personalidade do homem, que deve trabalhar exaustivamente para mostrar que é homem para a sociedade.

Minha mãe não perdoava o rompimento dos costumes conservadores, e para ela, se juntar com outras devotas do nosso senhor Jesus Cristo e olhar a vida do outro, do que fez e o que não fez era um de seus passa tempos prediletos .

De minha mãe não herdei nada, pois tudo que ela me ensinou eu despejei no caminho por onde passava, e agora minha mãe e sua bondade, espera ir para o céu e se encontrar com os parentes que ela amava.

Eu sonho apenas em seguir minha jornada, sem uma gota de tudo aquilo que ela sonhava, esperando e fazendo surgir dias melhores.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑