Duo corda in amore

Falei palavras de amor para ela, desses amores únicos de momento. _Nem venha com essa conversinha, sabe que eu me derreto toda. Fico vulnerável. Deixe eu pensar que você “nem liga pra mim” que “tanto faz, tanto fez”. Assim disse ela.

A beleza dela habita em mim, é parte dos meus pensamentos e dos meus órgãos. Ela disse que viu em mim um campo de flores, e que no final o que existia mesmo eram espinhos. E o silêncio foi tudo que sentimos naquele momento.

Mas ela sabe que não consigo me distanciar dela por muito tempo, talvez ela seja como o ar que eu respiro, tão essencial para a vida humana. A vida precisa de momentos assim. Eu preciso me embriagar e me entorpecer com a beleza dela de novo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s