Nem toda estrela morre

Por toda a Via-Láctea procurei teu nome, e pude ver que no brilho dos teus olhos e na constelação de tua boca existe várias estrelas, as estrelas que sempre brilham, as estrelas que nunca se apagam.

Muitas são as estrelas que já se foram, muito do brilho que ainda vemos vai chegar na terra. Mas as estrelas dos teus olhos e as estrelas de tua boca, essas sim sempre serão eternas.

E quando me faltar forças para seguir, eu olharei para o céu noturno, e enxergarei nas milhares de estrelas que vemos daqui da terra, que as estrelas de tua face sempre estarão lá na imensidão do universo, sempre estarão lá na poesia do teu olhar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s