Quando vestia-se de girassóis

A procura do amor verdadeiro ela saiu sem destino, queria as flores do campo, queria apenas os lírios. Sonhava com o pôr-do-sol da casa de seus pais, queria algo que acalmasse as dores acidentais.

E para ela o amor não era algo inerte, machuca e dilacera tudo a sua volta, como um punhal rasgando toda a carne nos músculos, que sangra e tritura quando a noite vai embora.

E mesmo que ela fuja de mim quando eu a vejo, seus beijos ainda guardo nos lábios como um encanto, na época que dormia sonhando com o mundo, na época que chamava meu nome em um susurro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s