Em curtas palavras

Eu busquei tua imagem nas estrelas, de lá onde eu sei que o sol nunca se põe, da mesma matéria que somos constituídos, eu procurei uma resposta que não tinha em minhas mãos.

Eu confessei ao vento, eu sussurrei que estava sentindo sua falta, e o vento percorreu longas distâncias para te dizer, o vento não sabe guardar segredo, o vento conspira para eu te ver.

E ninguém nunca será capaz de compreender o coração humano se não reconhecer o enorme alcance de sua capacidade de se iludir-se, mesmo quando vá de encontro a seus próprios interesses, ou a frequência com que ama exatamente aquilo que é obviamente danoso a ele.

*A última estrofe desse poema é de autoria do poeta italiano, Giacomo Leopardi, tomei emprestado por conter tamanha beleza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s