Abraça-me

Abraça-me pela última vez, mesmo que o mundo te espere lá fora! O tempo não foi bondoso com a gente, então abraça-me, mesmo que o carro que te espera lá fora vá embora.

Confesso em linhas escondidas em meu armário, que meu amor ainda arde em chamas, mas agora partes, e levas contigo os meus sentimentos escondidos no papel.

O nosso amor era ingênuo como a existência das crianças, agora, adultos marcados pela vida, segues o teu destino derramando um pranto ao recordar o passado.

Volta e meia eu penso na gente, da gente só espero boas lembranças, não quero que o mundo te faça sofrer, até eu mesmo sendo ateu, eu olho para o infinito e peço a deus que mal algum venha a te acontecer.

Agora segues de novo o teu destino, e não deixes que as pessoas e tua mente te confunda, e lembre-se que uma estrela marcou a nossa jornada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s