A verdadeira história de amor não contada

As lendas são as mesmas, mas essa história de amor não é igual como tantas outras oriundas do período medieval, ou dos mitos germânicos e celtas, ou do trovadorismo português do início de sua formação como Estado. Essa história de amor envolve o sacrifício e a coragem de um padre que abandona todas as perspectivas para salvar a vida de quem o deu um sentido e uma esperança, e lhe mostrou a verdadeira personalidade de seu caráter. A Europa estava mudando, a mente das pessoas estavam mudando, e precisamente por volta do XVII um padre italiano chamado Cesare Milano foi enviado a Espanha como ouvinte do julgamento da judia Sarah Levy, que como seus pais não se converteram completamente ao cristianismo, e foi denunciada ao tribunal da Santa Inquisição, por seu vizinho, o comerciante de roupas Juan Viegas. Sabe-se que a família Levy era concorrente direta dos Viegas, e tinham maior diversidade de mercadorias já que traziam de toda a Europa e do Oriente roupas comercializadas pelos os comerciantes judeus. Em virtude disso e tomado pela a fúria da inveja, Juan Viegas denunciou toda a família ao tribunal da Santa Inquisição, onde colhida falsas provas que a família Levy violava os princípios do cristianismo, tinham pacto satânico, e continuavam praticando a fé judaica, mesmo convertidos e batizados como cristãos, foram denunciados e levados a tortura, sendo executados rapidamente os pais e irmãos de Sarah, todos os bens foram divididos entre a igreja católica e o autor da denúncia, Juan Viegas, que após isso, conseguiu o que sempre desejou, eliminar a concorrência e expandir os negócios. Cesare Milano tinha uma educação intelectual e era contra em seu íntimo as práticas de julgamento do tribunal da Santa Inquisição, pois via como um tribunal de injustiças contra a existência do homem. Ao ser designado para acompanhar o julgamento da judia Sarah Levy, sentiu curiosidade e queria ajudar de certa forma a salvar a vida moça, que para ele não cometeu crime algum, mas seus esforços foram em vão, e a bela e jovem Sarah Levy foi condenada pelo o tribunal a pena de morte na fogueira em praça pública, na histórica e secular cidade de Toledo.
Inconformado com tal decisão da instituição que se dedicou por toda sua vida, Cesare Milano, se apossou da remessa de dinheiro da Igreja Católica que seria destinado a Roma, e traçou um plano para fugir para o Brasil, precisamente para Recife, capital administrativa da colônia holandesa, onde receberiam apoio da comunidade judaica na cidade. Partiram em uma nau das Índias Ocidentais que se encontrava estacionada na costa do Marrocos, e zarparam sentido ao Mauristadt, a cidade do Conde Maurício de Nassau.
essa altura da vida, Cesare Milano e Sarah Levy já estavam apaixonados, ele por amor abandonou a vida eclesiástica que era orgulho para o pai e para a mãe, ela que não tinha mais família, viu nascer na figura de Cesare Milano o caminho para viver e continuar seguindo em frente. Mas nas revoltas que o mundo dá, sua fuga espetacular foi denunciada e colocada recompensa pela a cabeça dos dois, ódio esse vindo da coroa espanhola e da Igreja Católica, por ter perdido a lucrativa remessa que ia manter os luxos do papado na cidade eterna. Ao passar pela a costa da Paraíba, em direção a Mauristadt, seu navio foi atacado por outro navio de patrulha espanhol e afundou onde hoje é a praia de Tambaba, não chegando ao destino final, permanece sobre os recifes de corais da praia de Tambaba, um amor verdadeiro e que se eternizou nas profundezas dos mares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s