Um dia vamos nos encontrar

Quando o sol iluminou tua face pela última vez, uma lágrima despontou sobre meu rosto, mas não sei o porquê dessa lágrima cair sobre meu rosto, se os verdadeiros soldados não devem chorar, os verdadeiros soldados não choram. Mas era verão, a guerra já estava consumindo tudo a nossa volta, os vizinhos foram embora, minha família foi embora, a guerra era tudo que tínhamos pela frente, no bolso uma foto tua e uma carta, na alma uma dor que me dilacera o peito, mas os verdadeiros soldados não choram, os soldados não devem chorar. Aqui, nessa cidade que crescemos repousa teu corpo sob os escombros causados por um bombardeio, a guerra talvez não escolha vitimas, a guerra é a verdadeira face da morte. Aqui em Colônia nessa cidade histórica repousa teu corpo e nossas lembranças, sobre minha cabeça passam os aviões dos aliados despejando sobre o povo alemão toda a força para pressionar uma rendição, em terra quem não luta é assassinado por tropas da SS, mas meu corpo agora já não tem forças, e toda minha esperança agora veio abaixo depois que uma bomba me separou de você, e agora só me resta acreditar que um dia iremos nos encontrar, nesse dia ninguém vai me separar de você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s