Storm Shadow

O Sol nasce diariamente, às vezes procuro o sol não apenas para registrá-lo como de costume, mas para me distrair diante das dificuldades. E quando chove, a solidão me invade como um punhal que rasga meu coração. Um dia você vai se lembrar das palavras que eu te disse, e dos beijos lá na praia sentindo a brisa suave do mar, mas agora eu não posso voltar, agora entre nós dois existe um abismo sem fim, sem ponte para atravessar. Seguro o guarda chuva em uma mão, e na outra te deixo meu coração em forma de carta, e em forma de palavras para dizer o que eu sinto, para te dizer que quando você se for, não poderá mais me ver, não poderá mais me sentir ou me beijar, você apenas será uma sombra que passou aqui na terra.

Foto: Anna Klinkosz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s