O amor nunca morre

Quando você cruzou a última porta, essa porta também era a última para mim. A dor tomou conta de minha vida, e dizem que devemos superar a dor com nossas próprias forças. Eu superei essa dor.

Quando você cruzou a última porta, esqueceu que tinha um coração que ainda estava vivo e pulsava por você, não me afoguei no álcool, pois o álcool e a religião não curam a dor, apenas anestesiam.

Eu me levantei das cinzas, e construí uma ponte sobre esses abismos, a dor me tornou mais forte, a dor me deixou quase invencível, agora sei que sou forte, porque o amor nunca morre, ele sempre está vivo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s