Até onde vamos chegar, não sei! Sei que é muito bom até onde chegamos. E pensar que entre nós havia um abismo e você construiu uma ponte para encurtar o caminho.

Agora minha boca pede teus beijos, e não quero voltar atrás e deixar de caminhar, e se porventura a tempestade nos encontrar, aperta minha mão que o tempo é de chuva.

E quando eu escrever teu nome na areia da praia, toma esse gesto como de carinho, pega-me como teu abrigo e eu te pagarei como meu refúgio.

Anúncios