Dublin

Esqueci o teu nome quando tinha te visto pela segunda vez, sabe, por todos esses dias que já passaram, e nesse curto relapso de tempo. Eu mudei.

Não te culpo por teres mentindo para mim, me perdoa porque não posso mais acreditar em ti.

E nesses relapsos de tempo que a vida nos trás, escrevi teu nome várias vezes em um guardanapo, tentei lembrar a forma de teu rosto.

Quis escrever um poema que descrevesse tudo o que eu estava sentindo, confesso eu pequei, não deu para disfarçar toda a mágoa que você deixou.

E o poema eu deixei sobre a mesa de um bar, nele estava contido tudo o que eu sinto. Nele estava contido todos os motivos pelos os quais não posso voltar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s