Quando o amor bate a porta ele não reconhece fronteiras, muito menos costumes religiosos que sempre definiram o rumo de muita gente.

O amor não tem preconceito de cor, e não escolhe classe social, o amor talvez seja o sentimento mais democrático que existe, então por isso pega muita gente desprevenida.

O amor está no olhos de duas pessoas que não se conhecem mas sentem o coração bater com um impulso incontrolável que quase nos deixa paralisado a contemplar a outra gente.

O amor não tem discurso conservador, não define gênero sexual, basta apenas ser você em um dia comum, quando o cupido vem, de repente te atinge com uma flecha, e você passa a sonhar como antigamente.

Anúncios