O Caminho 

Mas os sentimentos são abandonados quando não cultivados e deixados no meio do caminho, os frutos que se perderam nem o tempo pode trazê-los, pois é preciso caminhar novamente para sentir a natureza e colher novos frutos.

E quem sabe eu posso te encontrar onde havia te perdido, quem sabe você aparecerá em meus sonhos para me fazer chorar ou me fazer sorrir. Talvez em outra vida se ela existir, você ainda permanece nos meus sonhos sempre que vou dormir, eu não te esqueci, talvez nunca te esquecerei.

Todos esses dias foram cruéis, e quando o sol partia e a lua surgia eu pensava na gente. Eu nunca deixei de pensar em nós, mesmo distante a chama nunca se apagou, afinal todas essas primaveras não foram em vão, nada dito para você foi dito em vão. 

Vai em paz porque eu não posso te segurar, toma minha mão, e olha para mim pela última vez, porque depois que você se for todos nossos sonhos também irão, eu voltarei para meu lugar de sempre, com os mesmos amigos de sempre, e você será apenas uma lembrança de algo que passou pelo meu caminho.

César Palatino

Anúncios

Um comentário em “O Caminho 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s